Os alertas da ONU e doutras instâncias internacionais continuam a gritar. Mas quem os ouve? Os interesses económicos estão sempre em primeiro lugar. É certo que felizmente muitas iniciativas já foram tomadas, no sentido de termos mais cuidado com a nossa casa comum. Todavia, os entendidos na matéria afirmam que o aquecimento do planeta continua em crescendo.

Se o ritmo do aquecimento, não abrandar, corremos o risco de caminhar para um suicídio coletivo. A primeira vítima deste suicídio é o ser humano. Frequentemente falamos e agimos como se não fôssemos uma pequena porção da natureza. Ora cada um de nós faz parte dela. Basta olharmos para o nosso próprio organismo. Somos em grande parte constituídos por oxigênio, água, carbono, hidrogénio, etc.

Produzimos milhões de toneladas de lixo de toda a espécie, desde o lixo doméstico, eletrónico, plástico, até ao perigosíssimo lixo nuclear em centenas, senão milhares de centrais e armamentos nucleares.

O respeito pela natureza, deve ser visto pelos cristãos como respeito pela criação de Deus.